SECRETARIA DE SEGURANÇA ANUNCIA MAIS RECURSOS PARA POLICIAMENTO NA CIDADE UNIVERSITÁRIA

Mais policias com pacote de ações: o retorno da RAS, a aquisição de novas viaturas e o PROEIS da Petrobras. 

05.04.2018

Sidney Rodrigues Coutinho

 


Subsecretario Roberto Alzir 2O subsecretário de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro, Roberto Alzir Dias Chaves, antecipou que até o fim do mês as forças de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro poderão contar com a volta do Regime Adicional de Serviço (RAS), pagamento por hora extra que amplia o policiamento nas ruas ao estimular os policias a trabalharem nas folgas. O anúncio aconteceu em reunião realizada, na quinta-feira (5/4), com o reitor da UFRJ, Roberto Leher, e o prefeito da UFRJ, Paulo Mario Ripper, que foram reivindicar o aumento do efetivo do 17º BPM (Ilha do Governador) para o patrulhamento da Cidade Universitária.

De acordo com Roberto Alzir, outras medidas também resultarão na melhoria do policiamento do campus da UFRJ. Novos carros serão entregues ao batalhão da Ilha do Governador ainda em abril, dentro de um pacote de renovação da frota da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro (PMERJ). Hoje, perto de metade dos veículos da unidade tem dificuldades para realizar as rondas, conforme informou o comandante do 17º BPM, coronel Marcelo de Menezes Nogueira, também presente ao encontro na sede da Secretaria Estadual de Segurança, no Centro do Rio de Janeiro.

O subsecretario de Segurança também informou que estão bem adiantadas as negociações para assinatura do convênio com a Petrobras para o Programa Estadual de Integração na Segurança (PROEIS). "Isso vai redundar na contratação de mais policias para reforço no policiamento do Fundão, de forma que há perspectivas de melhora já para o final de abril, que vai se materializar em um ambiente de mais segurança e mais tranquilidade para que a UFRJ continue desempenhando importante papel de desenvolvimento científico no Brasil", disse Alzir.

O reitor Roberto Leher revelou a apreensão da comunidade acadêmica com a sucessão de crimes de extorsão mediante a restrição da liberdade da vítima (sequestro-relâmpago), que traz muito sofrimento para professores e estudantes da universidade. "Estamos preocupados com encaminhamentos que amenizam a gravidade do fato, que acabam sendo registrados como assaltos a transeuntes ou roubo de automóveis apenas. A gravidade é muito maior que a perda de um patrimônio imediato. Instamos à secretaria a acionar a Divisão Anti-Sequestros (DAS) para que esses casos sejam investigados. Aproveitamos também a oportunidade para cobrar respostas sobre o assassinato do estudante Diego Vieira Machado", disse o reitor da UFRJ.

Na avaliação do prefeito da UFRJ, Paulo Mario Ripper, a reunião foi positiva, pois vieram ao encontro das reivindicações da universidade. "Acreditamos que, em curto prazo, esse pacote de ações: o retorno da RAS, a aquisição de novas viaturas e a projeção do PROEIS da Petrobras vai trazer mais ostensividade e presença da PMERJ. Além disso, deve ocorrer um aperfeiçoamento nas investigações para desbaratar as quadrilhas que realizam os crimes de sequestro-relâmpago na Cidade Universitária com a atuação conjunta da DAS com a equipe da 37ª DP (Ilha do Governador)", concluiu Ripper.

Praça Jorge Machado Moreira, 100, Cidade Universitária, Rio de Janeiro, RJ - CEP 21941-592 | Caixa postal 68.010, Tel.: +55 21 3938-9324 Fax: +55 21 3938-4940

UFRJ Prefeitura Universitária
Desenvolvido por: TIC/UFRJ